Origem da expressão III – Sabe de onde veio a palavra OSCTRACISMO?

Atualmente, você talvez seja posto no ostracismo por crimes tais como estar usando a roupa errada no lugar errado, ou por ter nascido com o sobrenome errado. Mas no século V a.C., em Atenas, ostracismo era um procedimento legal, inventado para punir deslizes políticos. O reformador Clístenes, fundador da democracia ateniense, concebeu um novo sistema político destinado a atender, na medida do possível, ao desejo do povo, e não estava disposto a permitir que algum dos antigos aristocratas viesse perturbar as coisas. Uma vez por ano, todos os cidadãos podiam formar uma assembléia para decidir se alguém merecia ser expulso do estado por ter-se tornado uma ameaça – era uma espécie concurso de impopularidade. As pessoas votavam em seus inimigos públicos favoritos, escrevendo os nomes em um pedaço de cerâmica (veja na figura acima), utensílio que os gregos chamavam óstrakon. Os vencedores eram prontamente banidos da cidade por dez anos. Quando a prática do ostracismo em Atenas completou seus setenta anos de história, apenas dez cidadãos tinham sofrido a punição.
O costume do ostracismo 1, – que já tinha sido mencionado na literatura inglesa numa tradução de Plutarco, de 1580 – foi citado em 1588 pelo romancista Robert Greene, que recomendava uma receita para melancolia, tão segura para afastar o problema “quanto o ostracismo era para afastar os aristocratas de Atenas”.
A palavra grega óstrakon, além de significar pedaço de louça, também queria dizer “concha”. E é por isso que nos dicionários, ao lado de ostracismo, existe uma longa série de termos zoológicos relacionados, como por exemplo “ostráceo” (semelhante à ostra), “ostracódios” (tipo de crustáceo) e tantos outros.
Comentário: Reunir uma vez por ano para expulsar um político nocivo para a comunidade.. huum! Mas não poderia ser uma reunião por semana para dar conta do volume?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *